PARQUE NACIONAL, PATAGONIA

PARQUE NACIONAL BOSQUES PETRIFICADOS DE JARAMILLO

CLIMA

Frio, árido e ventoso. As temperaturas médias são de 19° C no verão (com máximas de até 40° C) e 7° C no inverno (com mínima de -15° C). As chuvas são escassas, mas fortes e quase sempre se manifestam em forma de neve. Não superam os 200 mm por ano. Os ventos fortes, vindos do oeste, atingem uma média de 70 km/h com rajadas de até 140 km/h, criando nuvens de poeira nos solos arenosos e argilosos. A época ideal para visitar o Parque é na primavera e no verão.

INFORMAÇÃO E SERVIÇOS
  • O Parque Nacional Bosques Petrificados de Jaramillo carece de água e infraestrutura receptiva (possui apenas banheiros públicos); os visitantes devem estar equipados com água potável, alimentos e combustível, já que a cidade mais próxima se encontra a 220km, ao norte.
  • Em Caleta Olivia há 3 hotéis, um camping, restaurantes, supermercados e postos de gasolina.
  • Puerto Deseado, a 252 km a oeste, conta com serviços parecidos com os de Caleta Olivia.
  • A Estância La Paloma – 20 km antes da chegada ao monumento natural, na estrada no 49 – tem um camping equipado com banheiros e fogões.
  • Na localidade de Fitz Roy (a 240 km, pela estrada nacional no3) é possível encontrar hospedagem, alimentação e abastecer o carro.
  • A partir do sul, a localidade Tres Cerros (a 90 km, pela estrada nacional no3).
ATIVIDADES

Lugares para visitar e atividades

  • Trilha Paleontológica (próxima ao posto dos guardas do Parque).
  • Cerro Madre e Hija (a poucos km, pela estrada no 49).
  • Caleta Olivia (cidade ligada à exploração petroleira).
  • Puerto Deseado (reservas naturais Ría Deseado, Cabo Blanco, Isla Pingüino e Bahía Laura).
  • Puerto San Julián (saídas de barco para ver os golfinhos nariz de garrafa e colônias de aves marinhas); Estância La María, com sua excepcional coleção de arte rupestre.
CONTATO

Escritório do Parque Nacional de Bosques Petrificados: Ameghino S/N° Jaramillo, Deseado, provincia de Santa Cruz.

E-mail: bosquespetrificados@apn.gov.ar

TARIFAS/HORÁRIOS

A entrada é gratuita.

A alta temporada é de novembro a abril.

A baixa temporada é de maio a outubro.

ACESSO

De carro

A partir de Comodoro Rivadavia – pelo norte – ou Puerto San Julián – pelo sul, através da estrada nacional no3 e da estrada no 49 (320 e 230 km, respectivamente); a junção é na altura do km 2074 da estrada nacional no3.

Outros meios de transporte

A cidade de Comodoro Rivadavia (Chubut) recebe diariamente voos de Buenos Aires e é possível alugar um veículo para visitar o monumento natural. Em Caleta Olivia (Santa Cruz), a 220 km, pode-se contratar os serviços de uma agência de turismo.

INFORMACÃO

Localização e história

Localizado em Jaramillo, na província de Santa Cruz, o Parque Nacional Bosques Petrificados de Jaramillos tem uma área de 63.543 hectares, além de 15.000 hectares pertencentes ao Monumento Natural Bosques Petrificados, somando um total de 78.543 hectares.

Este monumento foi criado em 1954 a fim de incorporar ao sistema de áreas nacionais protegidas o banco de flora que tem 10.000 hectares de área. Mais tarde, em 1984, após obter o reconhecimento de especialistas nacionais e internacionais, foram fornecidos ao Parque cerca de 5000 hectares a mais. Foi então que a Administração de Parques Nacionais adquiriu as propriedades de duas fazendas vizinhas, e atingiu área de 61.245 hectares. A 27 de dezembro de 2012 finalmente se dispôs a Lei No 26.825, a partir da qual o Parque foi efetivamente criado.

Durante o Período Jurássico Médio Superior, há 150 milhões de anos, este monumento conservava um clima predominantemente úmido. É por esta razão que prevaleciam árvores de porte gigantesco, entre as quais se destacavam as pehuenes e as araucárias. Mais tarde, através de erupções vulcânicas, o território foi enterrado por cinzas e lavas, fazendo com que os bosques fossem completamente petrificados.

Relevo e Hidrografia

A topografia da área é de tipo ondulado, de baixa estatura e de material tabáceo. As mesetas que se encontram na superfície do parque são apenas abundantes restos das antigas atividades vulcânicas.

Na parte oeste-sudoeste se sobressai o cerro Madre e Hija, também conhecido como Horqueta, com cerca de 400 metros de altura: o pico mais alto tem forma de focinho.

Quanto à hidrografia, não há riachos nem lagoas ou depósitos menores permanentes, mas quando há fortes chuvas se formam córregos temporários. Isto é por causa da impermeabilidade do solo. À medida que a água evapora, deixa sulcos e profundezas de baixa longitude. Na área baixa há uma lagoa temporária e rasa com a mesma origem.

Flora

A flora desta região tem a característica de adaptar-se facilmente às condições ambientais adversas. Se desenvolveu um grande e exuberante bosque de Araucárias antigas, além de pinheiros, samambaias, cicadáceas e benetitales semelhantes às palmeiras. Também crescem arbustos como molles, duraznillos, alfarrobeiras e calafates. Em geral, se encontram gramíneas e arbustos de ramos curtos e folhas pequenas e coriáceas, que atingem uma altura que no conjunto não supera o meio metro.

Outras espécies representativas do local são o “cavanhaque”, a mata zampa, a tunilla ou unha de gato, que dá uma pequena flor amarela. A mata negra, em cujos arredores se acumulam dunas de areia. A mata de lagoa, com espinhos grandes e grossos, o tomilho, a rabo de rato, o rabo de raposa – uma espécie de algas – e a turfa.

Não é menor o detalhe de que há 150 milhões de anos não existia a Cordilheira dos Andes, nem a paisagem era completamente dominada pelo mar: daquela época, há ainda restos de troncos de até 3m de diâmetro e mais de 30m de comprimento.

Fauna

A fauna do parque não é muito farta, mas permanece bem conservada e preservada. É por esta razão que, mesmo pequena, ela é de fácil observação para os visitantes curiosos. Podem aparecer naturalmente pequenos rebanhos de guanacos, raposas cinzentas, pardais, aves e várias lagartixas muito atraentes por suas diferentes tonalidades.

Antes de chegar ao Parque pode-se observar espécies diferentes, como o tatu patagônico e a ema, uma ave muito grande, de plumagem marrom com pinceladas de cinza e branco, que são particularmente polígamas.. Outras espécies comuns são a raposa vermelha e a lebre mara ou patagônica.

Logo_APN_pns

FLORA - LISTA DAS ESPÉCIES

FAUNA - LISTA DAS ESPÉCIES

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTRO CONTEÚDO

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: