NOROESTE, PARQUE NACIONAL

PARQUE NACIONAL CALILEGUA

CLIMA

Subtropical montanhoso, com estação seca no inverno. As temperaturas médias oscilam entre os 28ºC no verão aos 17ºC no inverno, os registros máximos absolutos de 40ºC indicam verões quentes. As precipitações são de 1800 milímetros anuais, concentradas entre novembro e abril. Durante o inverno são habituais as nevascas nos picos das montanhas. Aconselha-se visitar o parque entre os meses de abril e novembro.

INFORMAÇÃO E SERVIÇOS

Dentro do Parque:

Em Águas Negras existe um acampamento rústico que possui estacionamento, banheiros (com água somente para higiene), fogões, bancadas e churrasqueiras (não conta com mercearia, luz elétrica nem água potável).

Em Mesada de las Colmenas há uma área de recreação (é recomendado levar aquecedores).

Fora do Parque:

Para lojas, hotéis, restaurantes, supermercados e estações de serviço recomenda-se ir à cidade de Libertador General San Martín ou à Calilegua.

ATIVIDADES

Lugares para visitar e atividades

Aguas Negras, a 450 metros sobre o nível do mar. Com um acampamento rústico e trilhas.

Mesada de las Colmenas, a 1200 metros sobre el nivel del mar. Con un mirador, área de recreación, senderos pedestres.

Monolito, a 1800 metros sobre o nível do mar. Sinaliza a cota máxima da RP 83 e o limite do Parque.

Para a contratação de guias turísticos habilitados, recomenda-se ligar para a Intendência do Parque Nacional.

CONTATO

Intendencia Parque Nacional Calilegua: San Lorenzo s/n, (4514) Calilegua, Jujuy
Telefax: (03886) 422046
E-mail: calilegua@apn.gov.ar

TARIFAS / HORÁRIOS

A entrada no Parque é gratuita.

Tanto na alta temporada (abril a novembro) quanto na baixa temporada (dezembro a março) o horário de entrada no Parque Nacional é das 08 às 14 horas.

ACESSO

De carro

Pela estrada nacional Nº 34, deve-se ter como referência a cidade Libertador General San Martín – 120 km distante de San Salvador de Jujuy. A poucos metros antes de finalizar a ponte sobre o rio San Lorenzo, deve-se pegar o acesso para a estrada Nº 83, que atravessa o Parque e chega até o Departamento Valle Grande.

Outros meios de transporte

Do Terminal de Ônibus de Libertador General San Martín – a 10 km de distancia do Parque – chegam ônibus de todo o país. Dali todos os dias, às 08:30 h, parte um ônibus coletivo rumo à San Francisco / Valle Grande, que atravessa o Parque (o passageiro deve indicar que o deixem em Águas Negras). O ônibus regressa à tarde, passando por Mesada de las Colmenas por volta das 18:00 hs, e por Águas Negras por volta das 18:30 hs.

Também é possível locar carros ou chamar um táxi nas cidades de Libertador General San Martín ou em Calilegua.

INFORMACÃO

Localização e história

Localizado no sudeste da província de Jujuy, no departamento de Ledesma, na parte baixa das Montanhas de Calilegua, o Parque Nacional Calilegua, com uma área de 76 329 hectares, se destaca por seu relevo montanhoso. Possui uma impenetrável selva de montanha repleta de verde profundo, fendas, canais e cordões abruptos que protegem um setor representativo das yungas e preservam uma importante bacia hídrica, que abastece toda a população da região.

O parque foi criado em 1979 pelo Decreto no 1733, no qual se aceita a doação efetuada pela província de Jujuy – através da lei 3586 – a favor do Estado nacional dos lotes que somavam 76.306 hectares. A lei foi promulgada em novembro de 1978, mas em 1983, com a volta da democracia, a legislatura de Jujuy congelou seu tratamento e convalidação. Os dois lotes que compõem a atribuição foram doados ao estado provincial por meio de um convênio subscrito por Calilegua S.A.A.I. y C. com o Ministério do Trabalho da Nação Argentina a 4 de abril de 1974 (aprovado pela Lei 3.111) e por Ledesma S.A.A. e I. através do compromisso assumido na seção 3 do capítulo VII do convênio assinado por esta empresa com a província de Jujuy, também a 4 de abril de 1974.

Durante séculos esta zona foi ocupada por indígenas que construíram assentamentos para o cultivo de subsistência. A partir do século XV, foi ocupado pelos Incas, que construíram instalações representativas de sua organização social, política e econômica, com caráter ritualístico e simbólico. Os sítios e materiais arqueológicos encontrados no parque, representados por peças cerâmicas e machados de pedra polida, guardam relação com as sociedades que habitaram toda a região de Yungas no norte argentino. Além disso, na atualidade, toda esta região encontra-se habitada por comunidades kollas, herdeiras daquelas sociedades do passado, sendo assim sócias indispensáveis para que se mantenha o corredor das Yungas em todo o noroeste argentino.

Relevo e Hidrografia

O Parque Nacional Calilegua se caracteriza por seu relevo de tipo montanhoso, onde montanhas escaparadas, dobras, falhas, desfiladeiros e vales dominam a paisagem. Distinguem-se colinas como: Água Negra, Cuesta Alta, Abra Colorada y El Mirador que têm entre 1200 e 1500 metros de altura.

Os cordões montanhosos, por sua vez, como a Montanha de Calilegua, têm picos de mais de 3000 metros de altura. Entre eles se destacam as colinas Hermoso (aproximadamente 2800 m.), Amarillo (3646 msnm) e Morro Alto (2493 m.), que se encontram à oeste do parque, no limite da área protegida. Outros cordões, como a Montanha do Socavón, com aproximadamente 2600 m., encontram-se em sua totalidade dentro do Parque Nacional, ou, como é o caso da Montanha de Cortadera, no limite norte do mesmo. Todavia, o parque não trata somente de alturas: também há planícies nos pés das montanhas e nos baixos cordões montanhosos.

A bacia do rio Bermejo engloba ao Parque Nacional dentro de uma superfície de aproximadamente 10 000 km2. Esta enorme bacia possui imenso valor ecológico, tanto por suas dimensões como por acomodar 50% da formação das Yungas do noroeste argentino. Portanto, graças à vegetação exuberante, a bacia contribui para a retenção e gradativa liberação de água da chuva, de acordo com a época do ano.

A rede hidrográfica determinada por riachos e rios leva parte de suas águas em direção ao porto de Buenos Aires. Os rios mais importantes são o San Lorenzo e o Piedras, por definirem seus limites. De norte a sul encontramos os seguintes riachos: o Yuto, Sauzalito, Zanjón Seco e Las Lajitas, que descem das Lomas del Anta; a noroeste, os riachos Santa Clara e San José, que encerram entre si às Serranías del Socavón; ao sul, no entanto, encontramos o riacho Volcán, o rio Águas Negras e o riacho Águas Negras, todos afluentes do rio San Lorenzo; outros afluentes, mas no caso do rio Las Cañas, são os riachos Aguas Amarillas e Monte Bayo; também ao sul do parque encontram-se os riachos Seco, do Tigre Muerto e a cachoeira Agua Negra.

Flora

Calilegua exibe uma notável diversidade, característica dos ambientes florestais. Nas Yungas as condições climáticas, como chuva, umidade e temperatura variam de acordo com a altitude, e os vales e as zonas baixas possuem e desfrutam de um clima quente e menos chuvoso, mas com geadas menos frequentes.

Nas zonas ainda mais elevadas têm-se um clima temperado úmido com invernos frios, nos quais as quedas de neve são frequentes. Estas circunstâncias determinam a existência de uma série de diversos tipos de faixas de vegetação distintos e próximos entre si. Sobre as planícies localizadas ao pé das montanhas e nos baixos cordões montanhosos se instala a Floresta Basal ou Floresta de Transição, chamada assim por encontrar-se entre a Floresta propriamente dita e os bosques secos do Chaco. As árvores dominantes desta formação são: o Palo Blanco, o Palo Lanza, a Tipa Blanca, o Jacarandá, o Cebil Colorado, o Horco Cebil, os Lapachos, entre outras espécies.

Durante o verão a umidade aumenta significativamente. Crescem ali uma multidão de cipós, trepadeiras e epífitas enlaçadas nos troncos e ramos de árvores, cobrindo-os quase por completo. Assim, predominam as árvores de folhas perenes e seu tamanho é muito maior que na Floresta Basal, atingindo até 30 metros de altura. Fazem parte deste grupo o Laurel de la Falda, cujo tronco chega a 2,50 metros de diâmetro, o Horco Molle ou Palo Barroso, o Nogal Criollo, de nozes comestíveis, e numerosas mirtáceas como o Mato, Guil, Horco-Mato, Alpa-Mato, etc. que definem uma formação chamada Selva de Mirtáceas. Enquanto isso, nas encostas encontramos três tipos de bosque, os de Pino del Cerro, os de Aliso e os Queñoa.

Fauna

Entre os mamíferos mais característicos se encontram, por exemplo, a onça pintada – ameaçada de extinção, a Turaca ou Huemul do norte, a Águia poma, além de pumas, furões, raposas de montanha, macacos caí e diferentes espécies de esquilos. Algumas espécies constituem valiosas raridades como a Rã Marsupial e o Surucuá aurora, mas também habitam ali espécies como os esquilos vermelhos, os macacos capuchinhos, corzuelas, raposas de montanha e o coendú, o porco-espinho local. Há uma abundância de aves de diferentes tipos como o pavão da montanha, abutre, tucano, pica-pau, martin-pescador, entre outros.

Logo_APN_pns

FLORA - LISTA DAS ESPÉCIES

FAUNA - LISTA DAS ESPÉCIES

CONTEÚDO RELACIONADO

OUTRO CONTEÚDO

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: