NOROESTE, PARQUE NACIONAL

PARQUE NACIONAL CAMPO DE LOS ALISOS

CLIMA

Subtropical montanhoso. A temperatura média do verão fica em torno dos 28º C na área inferior e 0oC na Ciudacita, e no inverno cai para 16ºC ao pé da montanha até os -10ºC perto das cimeiras; até 2.500 mm de precipitação anual nas encostas mais baixas no verão. As características climáticas da área variam devido, entre outros fatores, às diferenças de altitude apresentadas. Na Floresta Basal, o clima é quente e úmido no verão. A maioria das chuvas ocorre durante este período, com chuvas entre 2500 e 3000 milímetros, que complicam as condições de visitação. A época mais recomendada para visitação é do outono até meados da primavera.

INFO+SERVIÇOS

Hospedagem: As melhores opções para hospedagem turística estão nos centros urbanos próximos ao Parque, ou na opção de acampar no Parque, desde que se consultem os guardas do Parque acerca das áreas habilitadas para tal finalidade.

Lugares próximos: Nas proximidades do Parque Nacional encontram-se as seguintes cidades (clique sobre seus nomes para obter maiores informações). Seus dados populacionais são indicados de acordo com o Censo de 2001 (Capital, 2010)

Serviços: Dentro do parque existem áreas de camping em diferentes alturas, com fogões e mesas, trilhas auto-guiadas, escritório para fornecer informações e equipe de saúde.

  • Na aldeia de Alpachiri, a 12 km do Parque, encontram-se produtos de necessidade básica.
  • A cidade de Concepción, a 30 km do Parque, oferece hotéis, hospedagens, restaurantes, supermercados e estações de serviço.

Recomendação: É um Parque relativamente novo e, por isso, não conta com todas as comodidades para os visitantes. É recomendável visitar a Intendência do Parque na cidade de Concepción, Tucumán ou contatá-la para receber maiores informações. Também é aconselhável consultar o guarda do Parque quando ingressar.

ATIVIDADES

Lugares para visitar e atividades

  • Parada La Jaya (847 msnm; entrada do Parque e ponto de partida da trilha).
  • Retiro La Mesada (1500 msnm, retiro da montanha).
  • Parada La Mesada (1680 msnm; acampamento livre).
  • La Cascada (2700 msnm; mirante) e La Ciudacita (4400 msnm; sítio arqueológico).
  • Em Cochuna, a 16 km ao oeste de Alpachiri, começa o caminho que leva à cativante Laguna del Tesoro (1750 msnm; 6 horas de caminhada).
  • Também merece uma visita San Miguel de Tucumán, o berço da Independência.
CONTATO

Parque Nacional Campo de los Alisos
24 de septiembre 2044 (4146), Concepción, Tucumán
Tel (03865) 421734
E-mail: losalisos@apn.gov.ar

TARIFAS

Entrada Gratuita.

ACESSO

Partindo dos Valles Calchaquíes:

O parque é acessível a partir da Estrada 40, partindo de Belén pela Estrada Provincial 46, de cascalho, exceto os primeiros cinco quilômetros: são 85 km até Adalgalá. De lá, pegar o sentido sul pela Estrada Provincial 46, pavimentada até o entroncamento com a Estrada Provincial 48 (são 4 km). Neste ponto, pegar o sentido leste pela Estrada Provincial 48 e sempre seguir pela estrada de cascalho (47 km até ao cruzamento com Estrada Provincial 1, que vem desde o sul, à direita). A partir daí, a rota gira rumo ao norte e depois de 4 km irá chegar em Bella Vista, onde se inicia o pavimento que dura até Río Potrero. Seguindo na Ruta Provincial 48 pavimentada até o Río Potrero, depois de 14 km chega-se ao limite interprovincial em La Banderita. A partir dali, continuar na estrada até Alpachiri, pelo vale do rio Vallecitos e, em seguida, o Medina (32 km de cascalho).

Na estrada até o parque se passa pelo Parque Provincial El Cochuna.

Da cidade de Tucumán, acessar a Estrada Nacional 38, sentido sul. Ao chegar à cidade de Concepción (km 80), deve-se pegar o sentido oeste, pela Estrada Provincial 365, até chegar à cidade de Alpachiri (são 17 km). A partir deste ponto, deve-se pegar uma estrada de terra cuja condição não é boa até a localidade de La Jaya, que está no limite oriental do parque (são 12 km).

INFORMACÃO

Localização e história

Localizado na cidade de Chicligasta, na província de Tucumán, com uma área aproximada de 10 000 hectares, o Parque Nacional Campo de los Alisos, pertencente à eco-região dos altos Andes, protege espécies ameaçadas de extinção no âmbito nacional e internacional, como o Condor andino, o Lobo do rio e o Guanaco. Conserva, também, importantes sítios arqueológicos, como as Ruínas da Ciudacita, mais conhecidas como “Pueblo Viejo”, remanescentes do Império Inca.

Criado em 1995 com a finalidade de proteção à floresta, ao bosque e ao bioma dos altos Andes, através da sanção da Lei Nacional No 24.526, promulgada o 6 de setembro do mesmo ano, dando lugar ao nascimento deste parque, o primeiro no território da província de Tucumán. Anterior a esta sanção, a Província cedera a jurisdição da superfície da área protegida à Nação, por meio da lei provincial No 6603.

Relevo e Hidrografia

Uma extensão de terra de 24 km de longitude, aproximadamente, se estende do limite com Catamarca no sentido oeste-leste, com uma breve inclinação a sul, até a confluência dos rios Las Pavas e Jaya. Toda a área está localizada nas encostas orientais das Colinas Nevadas de Aconquija, sofrendo uma gradiente de oeste a leste que vai dos 5200 aos 680 metros acima do nível do mar na parte menos elevada. O cerro La Bolsa é o mais elevado do Parque com uma altura aproximada de 5300m. As colinas Portezuelo del Becovel possuem uma altura aproximada de 4900m.

As serras dos pampas foram formadas pelos movimentos terciários que fraturaram a si mesmo, resultando em diferentes cadeias de montanhas por conta dos resultados dos bloqueios promovidos por meio das falhas. O aumento dos blocos ocorreu através de falhas que eram norte-sul e se desenvolveram no pé mais íngreme das montanhas – geralmente ocidental – como resultado do esforço dobrado, em diferentes estágios, da cordilheira dos Andes durante a era terciária.

Atravessada por vários cursos de rios que correm em direção do oeste para o sudeste, a maioria dos rios na província pertencem à bacia do rio Sali, Hondo ou Dulce. Por causa das intensas chuvas é que se formam os cursos de água que entram no coletor Salí em Tucumán. Os rios que formam as fronteiras são dois: o rio Las Pavas pelo Norte e o Rio Jaya pelo sul. A confluência dos dois dá origem ao rio Conventillo, que é o extremo leste da área protegida.

Flora

As Yungas são as protagonistas deste Parque, e em maior parte nas bocas de montanha, onde as grandes nuvens cobrem como névoa a selva, além de abastecê-la com umidade suficiente para seu desenvolvimento.

Acima dos 1000 m de altura aparece a Caña Brava e aos 1500 m aparecem o Amacay e o Nogal. Todavia, a variedade é ainda mais forte quando superam-se os 2000 m, já que o bosque de Queñoa mistura a pradaria da montanha com Cortadera e Chaguares. Destacam-se também Lupinos e Yaretillas.

Da mesma forma, nas encostas orientais encontra-se o chamado sotobosque, de vegetação rasteira. Uma mata bonita e entremeada na qual encontram-se exemplares de Loureiros, Nogal, Horco Molle, Tala de Selva, Tabaquillo e Cochucho.

Fauna

A vida no parque é muito diversificada, somente dentre os vertebrados foram detectadas mais de 400 espécies, que vão de Lobitos de Río e rãs da montanha até gatos andinos, jaguatiricas, pumas e guanacos.

Entre os roedores encontram-se o pericote grande, a ratazana andina e uma espécie oculta, o tuco-tuco. Com elevado valor ecológico encontram-se a taruca, o gato montés, o osito Lavador, o huemul del norte, a quiula puneña, entre outros.

Todavia, o destaque é o papagaio aliseo, espécie endêmica da Yunga do noroeste argentino e do sul da Bolívia. Este papagaio faz ninho somente no Bosque Montano, entre novembro e março, e durante o inverno forma rebanhos que se dirigem às áreas mais baixas para alimentar-se dos frutos do Horco Cebil e de outras plantas do pé da montanha.

Acima de 2000 m de altura, nos pequenos bosques de queñoa, acompanhados por yaretas, yaretillas e tremoços, nas grandes alturas, habitam pássaros como a quiula puneña e a Monterita Serrana.

Logo_APN_pns

FLORA - LISTA DAS ESPÉCIES

FAUNA - LISTA DAS ESPÉCIES

CONTEÚDO RELACIONADO

%d blogueiros gostam disto: